www.cozinhadamarcia.com.br

Eu gosto de passear em lugares que conheço sem um guia, nada de parecer turista, essas bobagens infinitas que no final das contas só me coloca em frias que não tem tamanho. Como adoro doces acabo comendo um monte desses que não valem as calorias.

Por isso, esse ano para visitar Paris eu preparei uma lista de pâtisseries com doces que eu quero provar, nada do outro mundo, uma torta de maçã diferente, uma bomba de chocolate… Para fazer a lista eu anotei muitos endereços da revista francesa Pâtissiers, especializada em doces, e agradeço à minha amiga Silvia Makanski, que além de chef, é pós-graduada em pâtisserie e realmente é muito antenada nos jovens talentos que nos últimos anos tem modificado a gastronomia mundial.

Vou visitar alguns deles para contar aqui na Cozinha da Marcia, quer dizer, visitar na medida em que estão perto de onde fico, e se estiverem mais ou menos no meu caminho diário.

Comecei com o mil-folhas da foto no Café Pouchkine, e confesso que a sensação foi luxuosa. Para brasileiros é um endereço fácil, fica no Boulervard Saint-Germain, quase em frente ao café Deux Magots, um lugar que muita gente toma pelo menos um café ou uma taça de vinho e fica olhando a vida passar, principalmente quando faz sol.

O Deux Magots é também um ponto de referência para quem estuda ou estudou filosofia e letras, o filósofo Jean-Paul Sartre costumava frequentá-lo para escrever e se reunia com seus amigos nos meados do século vinte. Sim, para fazer bonito em Paris sente-se para escrever em um café, hábito antigo na cidade quando as casas eram mal aquecidas, e com apenas uma xícara de café, um caderno e uma caneta podia-se ficar por muitas horas bem aquecido no frio do inverno.

Bom, voltando ao Pouchkine. O café abriu em 2014 e faz parte de uma cadeia fundada em Moscou que serve comida russa e francesa. Propõe-se a oferecer pequenos lanches ou comidas leves com ingredientes de luxo e com sotaque carregado nos blinis, saladas e um pouco de caviar. Servem comida russa, o que teria sido comida burguesa – no século XIX, bem feita e bem acabada, e doces franceses clássicos imperdíveis.

O melhor mesmo é ir até lá para tomar um café ou um chá e comer um doce. O mil folhas da foto com a massa folheada, isso é dividida em folhas finas entremeadas por camadas de manteiga que desaparecem durante o cozimento, é recheada por um creme leve de baunilha que desmancha na boca. Recomendo muito.

Veja aqui o cardápio

Café Pouchkine

155, Boulevard Saint-German, 75006 Paris

Veja no mapa