www.cozinhadamarcia.com.br

Eu não me lembro de muitas árvores de tamarindo. Sei que tem uma no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Mas eu só vi duas, uma na praia da Pedra de Guaratiba, onde passei umas férias quando pequena e a outra vez, uma árvore enorme, numa visita com a escola a Paquetá. Já deveria ter uns doze anos e A moreninha, a novela do Joaquim José de Macedo já fazia parte do meu repertório, constantemente ampliado pela casa vizinha com quatro filhas todas mais velhas do que eu, portanto melhor informadas na vontade de namorar.

Nativo da África tropical migrou primeiro para a Índia, daí seu nome científico – Tamarindus indica L., de onde foi trazida para as colônias espanholas do Caribe e para o Brasil. Provavelmente chegou ao Brasil no final do século XVIII ou começo do XIX, quando grande número de plantas foram aclimatadas – o que inclui a jaca, o café, a manga e qualquer outra fruta ou leguminosa que pudesse ser introduzida no clima ameno da colônia portuguesa. Política consciente por parte da Coroa portuguesa com o objetivo de gerar lucro, o que resultava também em um interesse científico na aclimatação das plantas.

www.cozinhadamarcia.com.brwww.cozinhadamarcia.com.brOs seus frutos são formados por uma fava que quando amadure fica com a casca seca e quebradiça. Os tamarindos com o sabor ao mesmo tempo ácido e doce dos seus frutos produz refrescos digestivos, e geleias para servir com queijo de minas meia cura ou para acompanhar carnes com molhos, pernil, e peixes grelhados. Na Índia, na Tailândia e em outros países do sudeste asiático é consumido em pratos salgados. A pasta de tamarindo é misturada com pimenta malagueta tempos como o cominho para se fazer uma pasta picante que pode ser diluída em frango refogado com molho curry por exemplo.

Para saber mais sobre a árvore, e sobre as propriedades da fruta clique aqui no link do Brasil Escola

Veja a receita da Geleia de tamarindo aqui