Cozinha da Marcia Receitas 100% testadas
 

Dicionário

a

  • »

    O que é a lavanda

    www.cozinhadamarcia.com.brA lavanda é também chamada entre nós no Brasil de alfazema, é uma arbusto de origem mediterrânea, de tamanho médio crescem até um metro de altura, gostam de clima seco e terra seca, como no Oriente Médio e o Sul da França. Existem diferentes tipos, alguns são usados como campos  para mel – isso mesmo, durante o verão soltam as abelhas na plantação e o resultado é um creme de cor amarelo claro e não muito doce.

     

    As folhas e flores também tem propriedades antissépticas e seus sachês além de perfumarem armários também evitam pequenos animais. E, desde que se tenha certeza de sua origem orgânica, podem ser utilizadas na salada, com um pouco de granola, na salada de frutas e em bolos e tortas. Seu sabor combina com pêssegos, melões e morangos.

  • »

    Pasta de amendoim

    www.cozinhadamarcia.com.brUm dos sabores prediletos dos americanos, a pasta de amendoim é utilizada como se fosse uma geleia para se espalhar no pão ou rechear bolos. Ela pode ser comprada pronta e normalmente tem um pouco de sal e de açúcar acrescentados. Acontece que pode ser feita em casa de modo simples e sem maiores problemas. A receita é fácil e só depende da qualidade do ingrediente: doure levemente qualquer quantidade de amendoins por seis minutos no forno, retire as peles e bata no liquidificador até obter uma pasta homogênea, é preciso revolver com uma colher de pau algumas vezes para todos os grãos desmancharem. Acrescente uma pitada de sal ou um pouco de mel e pronto.

  • »

    Aceto ou vinagre balsâmico

    www.cozinhadamarcia.com.brÉ um tipo de vinagre italiano, original da região de Modena na Emília Romana que, diferente do vinagre usual que conhecemos, é preparado aquecendo-se o mosto das uvas que é, em seguida, envelhecido em barris de madeira. Assim, os açúcares se concentram e o gosto da madeira também enriquece o seu sabor. Fabricado desde a Idade Media na região tem a sua produção cuidadosamente controlada para garantir a sua qualidade.

    O vinagre balsâmico pode ser utilizado para temperar morangos, no molho vinagrete de uma salada, utilize-o também para valorizar o sabor do frango ou do peixe grelhado.

  • »

    Calda de caramelo

    www.cozinhadamarcia.com.brPara fazer uma calda de caramelo para forrar a forma de um pudim é preciso derreter a quantidade o açúcar indicado na receita em uma panela de fundo grosso e com o fogo baixo. A calda fica no ponto certo em aproximadamente 15 minutos, quando atinge 130° C em um termômetro para medir açúcar.
    Observe que:
    – A espessura da panela impede que o açúcar derreta rápido demais e queime e evita o stress momentâneo causado por uma calda sem controle, espumando escura de um lado e com açúcar ainda branquinho do outro.
    – Assim que o açúcar derreter no fundo da panela, pode começar a mexer com uma colher de pau, até o açúcar dissolver.
    – O melhor é ter um termômetro de açúcar em casa, ele é barato, e permite repetir sempre a mesma receita com o mesmo ponto e no caso de geleias e doces com o mesmo sabor.
    A parte mais difícil é cobrir o canudo do centro da forma com o caramelo. A solução é verter a calda na forma mirando o topo do canudo, assim ela escorrera por cima e o encobrirá. Pronto, a parte mais complicada do processo resolvida, agora é só segurar a lateral da forma com um pano e girá-la de lado, feito uma roda para a calda grudar nas paredes laterais. O movimento não pode ser muito lento por que o caramelo nesse momento já começou a esfriar e endurecer.
    Deixe esfriar completamente antes de acrescentar a massa do pudim que também deverá estar fria, a temperatura correta evita que a calda derreta se misturando à massa.

  • »

    Amido de milho

    O nome da farinha bem fina que é extraída do milho, e cuja marca mais conhecida, a Maizena, até é usada como se fosse o nome do ingrediente, mas escreve-se maisena. É utilizado para engrossar líquidos como no mingau ou em bolachas e bolos.

  • »

    Alho

    O dente de alho pode ser esmagado com a lateral da lâmina de uma faca larga antes de ser colocado na panela, assim o seu aroma perfumará mais rapidamente a gordura utilizada.

b

  • »

    Brócolis

    Originário da Europa o brócolis é um alimento importante na composição de uma dieta equilibrada por ser muito rico em cálcio e fibras. Além disso, pode ser consumido inteiro como verdura e não apenas as suas flores. As folhas mais macias podem ser utilizadas picadas em sopas, e os caules, ou melhor, os pedúnculos, devem ser cozidos e servidos com as flores.

    Na hora de servir, prepare uma pilha estreita e alta para maior efeito.

     

     

     

  • »

    Bucatini, macarrão em formato de tubo

    Bucatini em italiano quer dizer furinho, buraquinho, é um tipo de massa longa com um furo no meio como se fosse um tubo, a função é capturar o molho nesse espaço tornando a combinação entre o molho e a massa ainda mais suculenta. Combina com molhos com muito caldo como o de carne à moda bolonhesa, de tomate ou com frutos do mar.

  • »

    Blueberries ou mirtilos

    www.cozinhadamarcia.com.brSeu nome em inglês quer dizer frutinhas azuis. Em português seu nome é mirtilo. Típica de climas muito frios é uma das primeiras a brotarem no início da Primavera no hemisfério Norte. No Brasil são plantadas na região serrana do estado de Santa Catarina.

    Podem ser servidos crus, polvilhados com açúcar e creme chantili ou para prepará-los assados, como na foto, basta polvilhá-los com uma  ou duas colheres de chá de açúcar, espalhá-los sobre um papel manteiha em uma assadeira e deixar no forno médio, 210˚C, por 20 minutos.

     

     

  • »

    Batata-roxa

    Não confundir com a batata-doce de casca roxa e interior amarelo. Essa é uma espécie silvestre de batatas com a casca e a polpa roxas. O seu sabor adocicado faz com que seja muito utilizada para se preparar um doce de textura pastosa e é muito apreciado. A safra desse tipo de batata é curta ? entre maio e julho, por isso o doce é tradicionalmente servido nas festas juninas.

  • »

    Bife chateaubriand

    Bifes de filé mignon cortado bem grosso que após frita ou grelhada é servida com algum molho como o de mostarda ou de vinho tinto.

  • »

    Fermento em pó

    Fermento em pó é a mistura de bicarbonato de sódiowww.cozinhadamarcia.com.br, uma base, com cremor tártaro, um ácido e amido de milho – utilizada para dar volume ao produto. A mistura ao entrar em contato com a massa umedecida do bolo se expande e forma milhões de bolinhas de ar que empurram a massa do bolo para cima.

     

     

     

     

     

  • »

    Bouquet garni

    O bouquet garni reúne uma folha de louro, um ramo de salsa, um de tomilho. Coloca-se, por vezes, um pedaço pequeno de aipo, amarrados com uma linha para serem retirados ao final do cozimento. No caso dos temperos secos, são colocados em uma bolsa de gaze, para evitar a mistura nos molhos, devem deixar apenas seu sabor. O bouquet garni é indicado para caldos, molhos e sopas e carnes de lento cozimento

c

  • »

    Como a couve-flor chegou ao Ocidente

    www.cozinhadamarcia.com.brA couve-flor é uma hortaliça original do Oriente Médio, colhida selvagem pela população local, passou a ser cultivada pelos egípcios pelo menos em 400 a.C.. Ela foi introduzida na Europa pelos gregos, e espalhou-se com os romanos que dominaram boa parte do continente. Porém a sua cultura só se popularizou de maneira definitiva quando o Rei Luís 14 junto com La Quintinie, naquele período jardineiro real do Palácio de Versalhes, na França. Juntos, o rei era muito interessado em agronomia, desenvolveram sua cultura na horta do palácio, assim como introduziram o cultivo das batatas e de outras espécies. O cargo de jardineiro real durante o século 17 seria equivalente hoje ao de um engenheiro agrônomo.

    A imagem mostra o Palácio de Versalhes e seus jardins em 1668, período em que 24 mil pessoas ou habitavam ou trabalhavam no local e em outros edifícios próximos. E, principalmente precisavam ser alimentadas.

    A couve-flor se difundiu a partir do século 18, quando por seu sabor e facilidade de preparo passou a constar do cardápio europeu.

    Para saber mais sobre a couve-flor

  • »

    Licor Cointreau

    Cointreau é a marca de um licor do tipo Triple Sec – destilado por três vezes – produzido com álcool e a casca de laranjas selecionadas, o resultado é uma bebida de sabor seco mas com o leve adocicado das laranjas. É servido como aperitivo antes das refeições, como digestivo depois do café e também é muito utilizado na composição de coqueteis, uma pequena dose é tradicionalmente parte da receita da sangria espanhola. Como o Cointreau de origem francesa tem também o licor Curaçao, originalmente preparado na ilha caribenha de mesmo nome. O licor é branco transparente porque o ácool destilado não entra em contato com as laranjas.

  • »

    Creme de baunilha ou crème anglaise

    O www.cozinhadamarcia.com.brcreme de baunilha também é chamado pelo seu nome em francês – crème anglaise (creme inglês em francês), é um molho doce utilizado acompanhar pudins e tortas. Bom companheiro de frutas com peras e maçãs cozidas. Na receita original utiliza-se uma fava de baunilha no lugar da essência como na receita de creme de baunilha da Cozinha da Marcia. O sabor é mais delicado, mas como por aqui a fava de baunilha é muito cara e difícil de ser encontrada acabamos por nos acostumar com a essência artificial.

     

     

     

  • »

    Coco

    www.cozinhadamarcia.com.brQuando os portugueses chegaram ao Brasil a paisagem da costa era tomada pela vegetação de restinga e principalmente por cajueiros, os coqueiros não faziam parte da paisagem. Chegaram aproximadamente cem anos depois, no século XVI. Foram trazidos da Índia e da África, os invasores holandeses trouxeram grande quantidade de árvores para serem aclimatadas com o objetivo de incentivar a produção em condições climáticas parecidas.

    Hoje os coqueirais são parte da cultura do país, ainda verde bebe-se a sua água e maduros fornecem a polpa para bolos, doces e cuscus, balas e toda a sorte de doces de origem portuguesa que aqui foram acrescidos do coco.

    O quindim é uma receita típica dessa fusão de cozinha portuguesa e brasileira.

  • »

    Calda de caramelo

    www.cozinhadamarcia.com.brPara fazer uma calda de caramelo para forrar a forma de um pudim é preciso derreter a quantidade o açúcar indicado na receita em uma panela de fundo grosso e com o fogo baixo. A calda fica no ponto certo em aproximadamente 15 minutos, quando atinge 130° C em um termômetro para medir açúcar.
    Observe que:
    – A espessura da panela impede que o açúcar derreta rápido demais e queime e evita o stress momentâneo causado por uma calda sem controle, espumando escura de um lado e com açúcar ainda branquinho do outro.
    – Assim que o açúcar derreter no fundo da panela, pode começar a mexer com uma colher de pau, até o açúcar dissolver.
    – O melhor é ter um termômetro de açúcar em casa, ele é barato, e permite repetir sempre a mesma receita com o mesmo ponto e no caso de geleias e doces com o mesmo sabor.
    A parte mais difícil é cobrir o canudo do centro da forma com o caramelo. A solução é verter a calda na forma mirando o topo do canudo, assim ela escorrera por cima e o encobrirá. Pronto, a parte mais complicada do processo resolvida, agora é só segurar a lateral da forma com um pano e girá-la de lado, feito uma roda para a calda grudar nas paredes laterais. O movimento não pode ser muito lento por que o caramelo nesse momento já começou a esfriar e endurecer.
    Deixe esfriar completamente antes de acrescentar a massa do pudim que também deverá estar fria, a temperatura correta evita que a calda derreta se misturando à massa.

  • »

    Calvados

    www.cozinhadamarcia.com.brO calvados é uma bebida destilada de maçã produzida na região de mesmo nome, no sul da Normandia, na França. E, como acontece com os vinhos franceses, somente a produção daquela região pode ser chamada de Calvados. A bebida é antiga, no século XVII já havia uma associação dos destiladores de cidra, embora o nome da região fosse associado à bebida, apenas no final do século XIX é que a cachaça de maçã foi oficialmente chamada de Calvados.

    Para se fazer o Calvados, primeiro o suco é extraído de diferentes tipos de maçãs, as proporções que definem a personalidade de cada um são definidas pelos fabricantes. O suco de maçãs primeiro é fermentado, quando se transforma na cidra. A cidra, que nada mais é do que o vinho de maçãs, é em seguida destilada em um alambique. Mas, para adquirir o sabor pelo qual é conhecido e para ser comercializado com o nome de Calvados, é necessário um período de descanso de pelo menos dois anos em barris de carvalho.

  • »

    O tamanho da barra de chocolate

    As barras de chocolate atualmente no mercado pesam, em geral 170g, por isso na hora de fazer as suas compras lembre-se que na maior parte das vezes será preciso comprar mais de uma barra.

  • »

    Coentro

    Originário da Ásia e da região do Mar Mediterrâneo, o coentro é hoje parte integrante da culinária brasileira. Muito utilizado para temperar peixes também pode, e deve ser colocado no feijão como Nordeste do Brasil ou em molhos de salada.

  • »

    Camarões brancos

    A estação dos camarões brancos (LITOPENAEUS VANNAMEI) é curta, dura aproximadamente um mês no litoral do estado de São Paulo e algumas áreas da região Sul do país. Brancos, quase translúcidos tem o sabor delicado, e quase não é necessário temperá-los com sal.

  • »

    Claras finas

    Ao se separar as claras das gemas sempre fica um pouco de clara de consistência mais liquefeita, essa parte é chamada de clara fina. A sua função é ajudar a engrossar cremes preparados com muitas gemas. A albumina das claras ao se misturada faz minúsculos bolsinhos de ar que ao cozinharem endurecem e dão uma certa leveza aos cremes de ovos que do contrário ficariam muito pesados.

  • »

    Coriandro

    Chama-se de coriandro a semente do coentro. Pouco utilizado na culinária brasileira é presença constante na cozinha indiana e em alguns países do Oriente Médio.

  • »

    Chimichurri

    Molho para churrasco utilizado na Argentina e no Uruguai. Fazem parte da mistura salsinha, azeite, vinagre, alho e pimenta calabresa. Pode-se também acrescentar outros temperos que podem ser usados desidratados ou frescos. Pode ser utilizado para temperar as carnes ou como acompanhamento.

  • »

    Canjica

    Doce de comer com a colher preparado normalmente com milho branco seco cozido com açúcar e leite de coco. Na hora de servir polvilha-se com canela. Doce típico da época de São João é também conhecido com mugunzá em algumas regiões do Brasil. Pode ser preparado também com milho amarrelo.

  • »

    Cardamomo

    O cardamomo (elettaria cardamomum) que utilizamos como condimento é a semente de uma planta de origem asiática. As sementes estão naturalmente acondicionadas em um pequeno envelope de palha que as protege e mantém a umidade e o sabor.

  • »

    Cordeiro

    O cordeiro é o carneiro bem novinho, sua carne é mais macia e precisa de menos tempo para cozinhar.

d

  • »

    Dill – aneto – endro

    Tempero muito (Anethum graveolens) utilizado na culinária da Europa do Norte e do Mediterrâneo, suas folhas tem um sabor distinto que combina com iogurte, com peixes de carne branca ou rosada como salm

  • »

    Demerara

    Açúcar-demerara é o açúcar em cristais antes de ser refinado e de cor marrom claro. Seu nome deve-se à colônia de Demerara, mais tarde unida à Guiana inglesa, atual Guiana.

e

  • »

    Edamame – o feijão fresco da soja

    www.cozinhadamarcia.com.brEdamame é como os japoneses chamam o feijão de soja ainda em sua fava bem fresquinho e macio. Para prepará-los é preciso apenas aferventar as favas por apenas cinco minutos em uma panela grande com muita água e sal a vontade. Escorra as favas e jogue-as em seguida em uma tijela com bastante água fria com umas seis pedras de gelo, assim não perdem a cor verde.

     

     

     

     

  • »

    Endívia

    Hortaliça de origem holandesa e belga, é um tipo de chicória de sabor fresco e suave com um leve amargor.

  • »

    Ervas de Provença

    As ervas de Provença, região no sul da França, são a mistura de manjericão, tomilho, orégano, sálvia, alecrim em pequena quantidade, tomilho e louro, são da região do mar Mediterrâneo. Servem para assados, grelhados, peixes em geral, algumas saladas como a niçoise( da cidade de Nice) e todos os pratos que lembrem mar e verão

  • »

    Ervas finas

    As ervas finas juntam salsa, cebolinha francesa bem fina, estragão e cerefólio. O perfume do estragão é um pouco mais forte do que o dos demais temperos. Esta mistura é utilizada para temperar omeletes, maioneses, mostardas, saladas, aves e pratos à base de queijo como suflês