Cozinha da Marcia Receitas 100% testadas
 

Dicionário

l

  • »

    O que é a lavanda

    www.cozinhadamarcia.com.brA lavanda é também chamada entre nós no Brasil de alfazema, é uma arbusto de origem mediterrânea, de tamanho médio crescem até um metro de altura, gostam de clima seco e terra seca, como no Oriente Médio e o Sul da França. Existem diferentes tipos, alguns são usados como campos  para mel – isso mesmo, durante o verão soltam as abelhas na plantação e o resultado é um creme de cor amarelo claro e não muito doce.

     

    As folhas e flores também tem propriedades antissépticas e seus sachês além de perfumarem armários também evitam pequenos animais. E, desde que se tenha certeza de sua origem orgânica, podem ser utilizadas na salada, com um pouco de granola, na salada de frutas e em bolos e tortas. Seu sabor combina com pêssegos, melões e morangos.

  • »

    Licor Cointreau

    Cointreau é a marca de um licor do tipo Triple Sec – destilado por três vezes – produzido com álcool e a casca de laranjas selecionadas, o resultado é uma bebida de sabor seco mas com o leve adocicado das laranjas. É servido como aperitivo antes das refeições, como digestivo depois do café e também é muito utilizado na composição de coqueteis, uma pequena dose é tradicionalmente parte da receita da sangria espanhola. Como o Cointreau de origem francesa tem também o licor Curaçao, originalmente preparado na ilha caribenha de mesmo nome. O licor é branco transparente porque o ácool destilado não entra em contato com as laranjas.

  • »

    Leite evaporado

    Leite evaporado é leite condensado sem açúcar, é muito utilizado por confeitarias. Ele é normalmente vendido em supermercados atacadistas ou lojas de material para festas.

m

  • »

    Maxixe

    www.cozinhadamarcia.com.brO maxixe é uma hortaliça de origem africana, veio para o Brasil ainda na época em que os africanos chegavam como escravos no Brasil. Muita gente o confunde com o jiló apesar da diferença na aparência. Incluído no Programa de Regionalização da Merenda Escolar – PREME, é rico em vitaminas e sais minerais.
    Leia mais sobre o PREME

     

     

     

     

  • »

    Milharina

    www.cozinhadamarcia.com.brMilharina é a farinha de milho previamente cozida e flocada. O nome é uma marca registrada da Quaker, a mesma empresa que produz aveias para mingau e misturas de cereais matinais. Ela pode fazer parte de receitas de bolos, cuscuz, pães, mingaus e pudins e, como já foi cozida, a sua utilização pode, em alguns casos, acelerar o tempo de preparo.

     

     

     

     

  • »

    Mirin

    www.cozinhadamarcia.com.brMirin é um vinho de arroz bem doce que é utilizado na culinária japonesa como tempero para pratos com molho, para verduras e cogumelos guisados. Pode ser usado na culinária brasileira no lugar do vinho branco, mas atenção ao seu sabor adocicado. Para acentuar o sabor de cenouras, batatas, batatas-doces cozidas acrescente uma ou duas colheres de sopa nos últimos minutos do cozimento.

     

     

     

  • »

    Madalenas

    Madalenas são bolinhos preparados com uma massa que não utiliza manteiga, a mesma usada aqui no Brasil para fazer pão-de-ló. Assados com o formato de conchas, ficaram famosos depois que o escritor francês Marcel Proust (1871-1922) as descreveu na sua obra Em busca do tempo perdido.

  • »

    Pâte a choux – massa de profiterole

    www.cozinhadamarcia.com.br

    Massa para profiteroles - pâte a choux

    Esse tipo de massa é utilizado para se preparar doces e bombas ou éclairs, carolinas, profiteroles e também alguns salgados. A mesma massa misturada com queijo prato — tipo gruyère ou parmesão é utilizada no preparo de um pão de queijo típico chamado de gougère.  A diferença é que ela é primeiro é cozida e em seguida assada. E apesar da aparências é fácil de fazer e de manusear.

     

     

     

     

     

     

  • »

    Macis

    Macis é a parte (arilo) entre a noz moscada e a sua casca o qual depois de seco é utilizado como tempero em molhos brancos, carnes brancas como o frango e o lombo de porco, e também em doces de frutas, cremes e pudins. O seu sabor, levemente ardido e refrescante é semelhante ao do gengibre e, é claro, ao da noz moscada.

     

  • »

    Blueberries ou mirtilos

    www.cozinhadamarcia.com.brSeu nome em inglês quer dizer frutinhas azuis. Em português seu nome é mirtilo. Típica de climas muito frios é uma das primeiras a brotarem no início da Primavera no hemisfério Norte. No Brasil são plantadas na região serrana do estado de Santa Catarina.

    Podem ser servidos crus, polvilhados com açúcar e creme chantili ou para prepará-los assados, como na foto, basta polvilhá-los com uma  ou duas colheres de chá de açúcar, espalhá-los sobre um papel manteiha em uma assadeira e deixar no forno médio, 210˚C, por 20 minutos.

     

     

  • »

    Mango chutney

    Molho indiano com sabor agri-doce muito antigo, tornou-se conhecido a partir do século XVI com a chegada dos portuguêses à Índia e depois com colonização inglesa. É preparado com mangas verdes, pimentas e especiarias

n

  • »

    Nibs de cacau

    www.cozinhadamarcia.com.brChama-se de nibs de cacau os pedacinhos das amêndoas (a parte interna das sementes) de cacau depois de levemente torradas e trituradas; ficam crocantes e dependendo do tipo de cacau são um pouco ou muito amargos e com sabor intenso de chocolate. O que é bem interessante é que quando se morde um pedacinho de nibs dá para entender o longo processo de tratamento das amêndoas até serem transformados em chocolate. É durante esse caminho que são acrescentados leite, amêndoas, licores e dependendo do fabricante o resultado é de fato a comida dos deuses como os antigos astecas chamavam as sementes. Foram eles que inventaram a bebida que encantou os espanhóis quando chegara à América no século XVI.

    Os nibs podem ser usados por cima de sorvetes ou com iogurtes e granolas ou para serem mastigados quando se quer uma pequena dose estimulante, o cacau tem teobromina como o café tem cafeína.

  • »

    Nero di seppia

    A expressão em italiano e quer dizer a tinta preta da lula. Pode-se utilizar a tinta da lula para preparar risotos ou para colorir de preto talharins e espaguetes. Não utilize a tinta das lulas que você compra na feira ? antes de sua utilização é necessário que seja esterilizada e limpa das impurezas. Lembre-se que a tinta é uma defesa utilizada pelas lulas para escaparem de seus inimigos.

o

  • »

    Óleo de nozes

    Produto tradicional de origem francesa, geralmente é utilizado para temperar saladas.

p

  • »

    Pretzel polonês, um pão bem macio

    Pretzel polonês é um tipo de pão de origem polonesa que os nova iorquinos adotaram como típicos da cidade, são vendidos em carrinhos nas ruas, como os pipoqueiros por aqui. Existe o pretzel de origem alemã que é um biscoito gigante bem durinho e polvilhado com sal grosso. A massa de pão em formato de coroa é cozida depois de fermentada para em seguida ser assada e dourada. Em geral são polvilhados com sementes de papoula ou de gergelim, tem também uma versão com cebola frita. Podem ser comprados em algumas delicatessen aqui em São Paulo como a Casa Zilana em Higienópolis ou o supermercado Santa Luzia no Jardim Paulista e são deliciosos servidos com queijo tipo Philadelphia e salmão defumado ou trutas defumadas.

    Casa Zilanna Rua Itambé, 506. Higienópolis, São Paulo – SP 

    Casa Santa Luzia Alameda Lorena, 1471, Jardim Paulista, São Paulo – SP 

  • »

    Pasta de amendoim

    www.cozinhadamarcia.com.brUm dos sabores prediletos dos americanos, a pasta de amendoim é utilizada como se fosse uma geleia para se espalhar no pão ou rechear bolos. Ela pode ser comprada pronta e normalmente tem um pouco de sal e de açúcar acrescentados. Acontece que pode ser feita em casa de modo simples e sem maiores problemas. A receita é fácil e só depende da qualidade do ingrediente: doure levemente qualquer quantidade de amendoins por seis minutos no forno, retire as peles e bata no liquidificador até obter uma pasta homogênea, é preciso revolver com uma colher de pau algumas vezes para todos os grãos desmancharem. Acrescente uma pitada de sal ou um pouco de mel e pronto.

  • »

    Calda de caramelo

    www.cozinhadamarcia.com.brPara fazer uma calda de caramelo para forrar a forma de um pudim é preciso derreter a quantidade o açúcar indicado na receita em uma panela de fundo grosso e com o fogo baixo. A calda fica no ponto certo em aproximadamente 15 minutos, quando atinge 130° C em um termômetro para medir açúcar.
    Observe que:
    – A espessura da panela impede que o açúcar derreta rápido demais e queime e evita o stress momentâneo causado por uma calda sem controle, espumando escura de um lado e com açúcar ainda branquinho do outro.
    – Assim que o açúcar derreter no fundo da panela, pode começar a mexer com uma colher de pau, até o açúcar dissolver.
    – O melhor é ter um termômetro de açúcar em casa, ele é barato, e permite repetir sempre a mesma receita com o mesmo ponto e no caso de geleias e doces com o mesmo sabor.
    A parte mais difícil é cobrir o canudo do centro da forma com o caramelo. A solução é verter a calda na forma mirando o topo do canudo, assim ela escorrera por cima e o encobrirá. Pronto, a parte mais complicada do processo resolvida, agora é só segurar a lateral da forma com um pano e girá-la de lado, feito uma roda para a calda grudar nas paredes laterais. O movimento não pode ser muito lento por que o caramelo nesse momento já começou a esfriar e endurecer.
    Deixe esfriar completamente antes de acrescentar a massa do pudim que também deverá estar fria, a temperatura correta evita que a calda derreta se misturando à massa.

  • »

    Physalis, uma fruta diferente

    Physalis, parece um nome muito exótico para um arbusto natural do Norte e Nordeste do Brasil e da região andina. A fruta se esconde dentro de uma membrana que dá a impressão da fruta ficar escondida dentro de pétalas de flores.

    O sabor é levemente ácido com um pouco de açúcar, para explicar melhor só lembrando que a planta é da família dos tomates. O seu preço no entanto é alto e sua aparência delicada favorecem servi-la ao natural ou em uma salada de frutas.

    Para mais informações visite o site Jardim de Flores.

  • »

    Pâte a choux – massa de profiterole

    www.cozinhadamarcia.com.br

    Massa para profiteroles - pâte a choux

    Esse tipo de massa é utilizado para se preparar doces e bombas ou éclairs, carolinas, profiteroles e também alguns salgados. A mesma massa misturada com queijo prato — tipo gruyère ou parmesão é utilizada no preparo de um pão de queijo típico chamado de gougère.  A diferença é que ela é primeiro é cozida e em seguida assada. E apesar da aparências é fácil de fazer e de manusear.

     

     

     

     

     

     

  • »

    Polvilho

    É o amido da mandioca, que de acordo com o grau de acidez é classificado como doce ou azedo. É o carboidrato encontrado na raiz da mandioca (aipim). Na verdade, polvilho é uma fécula, como é chamado amido que tem origem em tubérculos ou raízes como a batata ou a mandioca. O amido obtido de vegetais a partir das partes que ficam acima da terra como o amido de milho também conhecido como maisena ou Maisena (a marca do produto).

  • »

    Pimentas malaguetas e dedo-de-moça na Índia

    As pimentas vermelhas de origem bem barsileira (do gênero capsicum) foram transplantadas pelos portuguêses para a Índia e rapidamente substituíram as pimentas locais.

  • »

    Pimenta-de-cheiro

    Pimenta-de-cheiro é um dos nomes populares que se dá à pimenta-malagueta ou a um molho preparado com diferentes tipos de pimentas de formato arredondo e menos ardidas que a malagueta.

  • »

    Pectina

    A substância presente na maioria dos vegetais e frutas é encontrada principalmente nas frutas cítricas. Na cozinha e na indústria de alimentos a pectina é utilizada para ajudar a engrossar os ponto dos doces de frutas.

  • »

    Portobello

    Portobello ? tipo de cogumelo comestível com a carne suculenta. Pode ser preparado grelhado, na brasa ou refogado, seu sabor forte é ótimo em recheios e tortas salgadas.