www.cozinhadamarcia.com.br

Chocolate quente como conhecemos hoje em dia é uma bebida deliciosa, cremosa e untuosa na língua. Só tem um problema – é um pouco pesado e assim depois de uma xícara não conseguimos beber, ou comer, quantidades grandes.

Isso acontece não por culpa do chocolate, mas por causa da grande quantidade de emulsificantes, aquelas substâncias que forçam um grau de maciez na boca e podem ser vistas no rótulo, a mais conhecida é a lecitina de soja, em seguida o óleo de palma – que é o nome industrial do óleo de dendê. Nenhum deles é muito bom, e todos substituem um ingrediente importante do próprio chocolate, a manteiga de cacau. Então, na hora de comprar chocolate é importante olhar primeiro se na mistura tem chocolate ou apenas gorduras e açúcar misturado com corante. Melhor não comprar que não vale as calorias.

O chocolate, quer dizer o cacau de onde é extraído, é uma planta da região amazônica que se desenvolveu e se espalhou no Norte do Brasil, na Venezuela, Colômbia, Equador, Peru. Espalhou-se em direção ao México e Belize. Adaptou bem e passou a fazer parte importante na cultura da Guatemala, e do México com deuses dedicados à planta. Quando os espanhóis chegaram a esses países no século 16 descobriram uma bebida, mais um mingau leve preparado com farinha de milho e chocolate, temperado com pimenta vermelha e baunilha – uma fava de uma orquídea local. Cem anos depois essa bebida havia se adaptado ao gosto dos colonizadores, no lugar de um mingau com fubá, a massa de chocolate obtida a partir das sementes do cacau era servida diluída com água e adoçada com açúcar. Para engrossar esse caldo batiam com uma colher de pau de borda redonda – o nome correto em espanhol é molinete, a gordura natural do chocolate emulsionava e engrossava.

Duzentos anos depois o chocolate já era muito conhecido e difundido na Europa. Era uma bebida feminina, servida em xícaras pequenas e de porcelana delicada. Era também vendido nas ruas em tambores com uma bica. Nesse momento, a bebida era diferente, mais aerada, tinha mais água e era engrossada com farinha de arroz, como a da foto, eu comprei um chocolate catalão que é feito do mesmo modo desde 1770.

A grande novidade é que a canela usada para dar um gosto ao cacau, e se bem notarmos é uma das primeiras fusões entre um produto americano com um produto do Oriente, E é essa a bebida que está na foto. Para prepara-la basta derreter chocolate em barra, a barra deve ter www.cozinhadamarcia.com.br70% de cacau, água, açúcar, canela e uma colherinha de fécula de arroz. Misture até o creme de chocolate engrossar e está pronta.

Clique aqui para ver as medidas corretas da receita de chocolate à moda antiga.