www.cozinhadamarcia.com.br
Cada cidade tem uma série de comidinhas que ativam a nossa memória sempre que pensamos sobre ela. Lembranças gostosas que acentuam  a maneira como os seus moradores e visitantes se identificam com o lugar. E, o Rio de Janeiro, como muitas cidades que foram colonias de países europeus, conseguiu juntar uma longa lista de guloseimas influenciadas pelas diversas ondas de estrangeiros que trouxeram em sua bagagem receitas deliciosas. E, também não se pode esquecer os pratos originais que já se encontravam aqui com os tupinambás. Todas misturadas e servidas juntas compõem a mesa carioca, rica e variada.

Em seus 450 anos de história desenvolveu-se uma lista riquíssima de petiscos salgados e doces que todos que aqui nascemos nos acostumamos a chamar de nossos, mesmo quando não temos uma relação direta com o seu país de origem. Influência de imigrantes que se transferiram para o país de modo voluntário e involuntário, como foi o caso dos africanos, e a tudo se somou o conhecimento dos moradores originais, ao qual, talvez por força da situação, acrescentamos um jeito hospitaleiro de receber visitantes com muito charme e sabor.

É essa a história que eu conto no livro Rio de Janeiro : A Food Biography (Big Cities Food Biographies) que vai estar à venda a partir da semana que vem nos Estados Unidos e, pode ser comprado direto pela Amazon Books e no site da própria editora Rowman & Littlefield. O livro é parte de uma linda coleção de biografias culinárias de grandes cidades. Começou nos Estados Unidos com cidades como Nova Iorque, São Francisco, Nova Orleans, Chicago, enfim, uma maravilha.

A coleção é coordenada por Ken Albala, catedrátrico de história na University of the Pacific, em São Francisco na California, dirige um programa especial de Food Studies na mesma universidade. Ele é um um profissional extremamente ativo em sua área, e ainda tem tempo para escrever um blog Ken Albala’s Food Rant.

Mas, voltando ao livro e ao Rio, é o meu primeiro livro escrito e publicado por uma editora americana. Já publiquei muitos artigos sempre sobre o mesmo tema – história da comida e, se possível sobre o Rio de Janeiro desde os primeiros tempos, quando os portugueses e também os franceses chegaram aqui.

Espero que gostem de saber que a partir de agora é com muito prazer que explico para os que não falam português a importância da mandioca, da tapioca, da coxinha de galinha, e de um bom sambinha no quintal.

A seguir, alguns comentários sobre o livro:

“Reading Rio de Janeiro: A Food Biography is a delightful discovery of the ways in which immigration and geography have influenced the food culture of the city from the colonial era to the present. Written for a lay audience, Zoladz mixes explanations of culinary influences with favorite Brazilian recipes such as moqueca, feijoada, and bobo de camarão. Readers will also discover lesser-known specialties like kibbeh, an adaptation of a Middle Eastern recipe, and herrings with cream, a dish brought by the Jewish immigrants who relocated to Rio post-World War II. The book is a solid contribution to understanding the ways that patterns of food production, preparation, and consumption come to define place and tie us to our environments.”— Annie McNeill Gibson, Center for Global Education at Tulane University

“Rio de Janeiro: A Food Biography is a sweeping and engaging history recounting how indigenous and imported food items have shaped what we call Brazilian food. Particularly interesting is how Zoladz examines the different waves of immigration as well as how Portuguese, Middle Eastern, Italian and Jewish cultures influenced the use of now traditional ingredients in Brazilian classics, for which the author also provides recipes. Notably, Zoladz also accounts for the critical impact of slavery and the many Afro-Brazilian culinary traditions that are so foundational for Rio’s food culture.”— Elena Shtromberg, University of Utah