www.cozinhadamarcia.com.br

Os japoneses tem poucos doces originais, o clima não permitia plantar cana-de-açúcar, a cultura de grandes banquetes obedecia a uma ordem diferente da cultura ocidental, e os alimentos eram conservados em salmoura. Como é um arquipélago, com litoral grande, natural que o uso do sal nas conservas ou para auxiliar na secagem de peixes tenha se desenvolvido e sofisticado com o passar dos séculos.
Acontece que a partir do século XVI, em 1543, com a expansão da navegação no Oceano Atlântico – quando chegaram ao Brasil, logo chegaram ao Oceano índico, quando alcançaram e Índia, para em seguida seguindo para Leste encontraram o Japão. Um reino desenvolvido e sofisticado, com técnicas apuradas em louças tecidos, tratamentos de saúde, e culinária. Os portugueses levaram uma novidade para lá – o pão-de-ló, uma massa de ovos, açúcar e farinha muito bem batida sem nenhum fermento.

Veja aqui a receita original do Pão de ló

No Japão deu inicio a uma série de receitas com jeito próprio e muito gostosas. O vídeo a seguir é de um vendedor preparando um doce típico, imagawavaki – e um bolo pão-de-ló recheado preparado em uma frigideira própria sobre um fogão.

O vídeo do YOUTUBE tem apenas 10 minutos, mostra uma banquinha na Brick Lane, uma rua super transada com comidas do Oriente e do Oriente Médio. E serve como inspiração para quem gosta de fazer bolos.
Assista ao vídeo aqui

O google avisa que aos sábados a feira na Liberdade, o bairro oriental na cidade de São Paulo também tem uma banca que faz esse doce.
Feira da Liberdade – 290, Praça da Liberdade, 170