www.cozinhadamarcia.com.br

Para quem está sofrendo o terrível calor das areias do Rio de Janeiro em pleno Verão a chamada do vendedor de mate é um alívio. O mate e a limonada, vendidos em tambores de metal, fazem parte da ida a praia tanto quanto tomar um picolé antes de voltar para casa – mas só um, para não atrapalhar a fome do almoço!

O vendedor de mate é uma figura típica das areias cariocas que, diferente dos demais, que vendem chapéus, cangas, redes e uma infinidade de bugigangas para turistas, é de fato visto pela população como alguém que presta um serviço contra a desidratação de adultos e criancinhas.  O dinheiro para o mate está sempre ao alcance da mão. Pode parecer um certo exagero, mas existem algumas leis que ninguém ousa transgredir, por exemplo, ir a praia e dar um mergulho é importante para refrescar o corpo para suportar o calor.

O mate, com as suas folhas torradas e bebido bem gelado e, em geral com açúcar demais, ganhou fama de ser muito hidratante. Na verdade não é nem mais nem menos do que um copo de água, mas como é um tipo de chá tem cafeína na sua composição. A quantidade é pouca – sete miligramas para meia xícara. Mas, no meio do calorão, parece que um gole de mate faz milagres.

O hábito tradicional é tomar um mate, algumas vezes quebrado com um pouco de limonada. A atividade é tão importante que ao ser proibida em 2009, por razões obvias de higiene, voltou a pedido do povo e em março de 2012 foi declarada como parte dos bens imateriais da cultura carioca. Portanto, tome um mate para preservar a cultura carioca!