A tradição de se distribuir doces em saquinhos ilustrados com a imagem dos santos gêmeos é uma maneira de se retribuir a proteção dada às crianças durante o ano. São Cosme e São Damião, irmãos gêmeos nascidos na Síria no século III, eram médicos e missionários cristãos que tratavam as pessoas sem cobrar. Muito populares, foram perseguidos pelo imperador romano Diocleciano, e decapitados. Patronos dos médicos e farmacêuticos também são os protetores das crianças.

Em todas as culturas muitos pratos e ingredientes estão associados a determinadas festividades religiosas. No Brasil, de maneira muito interessante, para camuflar os cultos africanos, proibidos e sujeitos à perseguição policial, seus adeptos ainda no tempo anterior à libertação dos escravos, em 1888, escondiam uma tradição religiosa dentro de outra religião. Assim, no dia 27 de setembro, os cultos afro-brasileiros homenageiam os Ibjis ou Êres da tradição Yoruba, e São Cosme e São Damião, santos menores a se considerar a tradição erudita do cristianismo são amplamente festejados. Provavelmente o seriam com menor intensidade se não estivessem representando os espíritos livres ou Êres. Nos terreiros o Caruru é servido em um almoço comemorativo.
A receita a seguir está ligeiramente modificada, um pouco mais leve, teve a quantidade de azeite-de- dendê reduzida. Separei as castanhas e os amendoins, metade batida e a outra metade bem picada. Antigamente as castanhas, os amendoins, os camarões secos eram passados em uma geringonça manual, de alumínio, conhecida em todas as como a máquina de moer carne.